Mais homofobia: casal gay apanha em bar e um deles acaba morto a facadas

Quando publico esse tipo de notícia acabo recebendo dezenas de mensagens como “o sei projeto é tão divertido, leve, por que continua publicando notícias de violência?”… a resposta é simples: enquanto sofrermos desse mal chamado homofobia, continuarei publicando e engajando pessoas.

Pois é, mais uma vez a doença do preconceito assolou mais uma família, desta vez no Mato Grosso do Sul. De acordo com o G1 e o portal Campo Grande News, Gervásio Pinto Neto, de 30 anos, morreu depois de ser agredido durante uma briga em um bar na madrugada deste domingo (23), na zona rural de Sidrolândia, a 64 km de Campo Grande. Ele estava com o marido no local quando discutiu com três rapazes que começaram a tirar foto do casal gay, segundo informações do boletim de ocorrência.

O companheiro de Gervásio, agora vítima de ameaças em sua região, disse para a polícia que convivia maritalmente com a vítima há 14 anos e que o suspeito das agressões é um homem conhecido no assentamento rural onde aconteceu o homicídio. O homem não soube confirmar quais dos três suspeitos desferiram os golpes de faca na vítima, mas disse ter visto um deles com a faca na mão.

O homem ainda disse que ele e o marido trocaram agressões com os suspeitos antes da vítima cair no chão. Depois das agressões, os suspeitos fugiram e a vítima foi socorrido até o hospital municipal, onde morreu. Ninguém havia sido preso até a publicação desta reportagem. O caso foi registrado como homicídio e vias de fato na Delegacia de Polícia Civil de Sidrolândia. “Por lá, os crimes de homofobia fazem parte dos números ‘comuns'”, confirmam alguns oficiais de MS.

O projeto QUEM A HOMOTRANSFOBIA MATOU HOJE é uma iniciativa do Grupo Gay da Bahia em todo Brasil

O projeto QUEM A HOMOTRANSFOBIA MATOU HOJE é uma iniciativa do Grupo Gay da Bahia em todo Brasil

Conforme boletim de ocorrência, o companheiro da vítima, identificado apenas como Waldemar, contou que estava no bar junto com Gervásio, quando um homem conhecido como “Mário Clayton” chegou com mais dois amigos e começou a tirar fotos do casal.

O mapa da homofobia no país

De acordo com o site QUEM A HOMOTRANSFOBIA MATOU HOJE, um espaço colaborativo que divulga a violência LGBT em nosso país, Gervásio é a 236 vítima de violência e morte somente este ano.

Sofreu violência ou conhece alguém que corra riscos? Você também pode denunciar pelo site, pelo disque denúncia (181) e agora o web denúncia.

Post anterior Próximo post

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.