Atleta gay faz ensaio fotográfico com namorado e desafia os padrões impostos por nós

Fala pra nós, mas fala com sinceridade… vamos lá, não tem ninguém te observando, não estamos dando show de “moral de cívica” no Facebook ou no Insta, rs. Você é preconceituoso? Você acha também faz parte da grande maioria de gays que capricha no textão nas redes sociais, mas no final quer mais do mesmo?

Para Sam Stanley, 23 anos, jogador de rugby da liga inglesa, as respostas seriam “não para todas as anteriores”. O jovem atleta gay, que desafiou a Inglaterra ao ser o primeiro jogador a sair do armário, trouxe novamente mais uma discussão importante para nós, gays do mundo todo: estamos prontos para lidar com todos os tipos de beleza?

Enquanto muitos trazem consigo discursos prontos de que não se pode seguir padrões, correr atrás da “beleza ideal” do alto, sarado e sem trejeitos, Sam pratica a quebra de tabus no nosso meio recheando a revista “Gay Times” ao lado de Laurence, seu namorado. Laurence Hicks, 50 anos, está ao lado do jogador há alguns anos e não tem medo de expor o tema. Ao divulgar a relação nas redes sociais, o casal “diferente” traz para a realidade (e não apenas para os campos do idealismo jovem e pseudointelectual de grupos de Facebook) pautas como idade x amor e a gordofobia, um dos dois grandes males da comunidade gay.

Sim, pois ao meu ver a questão “afetados vs discretos” também enchem nossas timelines de lindos pontos de vista, discussões inacabáveis e no final das contas a decepção surge quando vemos aquele amigo virtual em busca dos “discretos” no Hornet, GrindR e outros apps de pegação.

Para o casal Stanley e Hicks, a vida segue e o amor prevalece, acima de todos os milhares de comentários anônimos (claro), e preconceituosos não só pela sexualidade dos dois, mas também pelas diferenças. “Eu estava de pé em uma ponte com vista para uma rodovia em Essex, e era como se eu pudesse me livrar da dor de uma só vez. Você está tão preocupado com o que as pessoas vão pensar. Pensei que não poderia ser um jogador de rugby macho do jeito que eu era, e não havia mais nada que eu quisesse fazer com a minha vida”.

casal gay rugby

E então… já parou para pensar sobre aquele preconceito escondidinho no fundo do seu coração? Que tal trabalhá-lo não só nos posts, mas também na vida real? Bora viver o real!? 😉 (//HYPENESS)

Post anterior Próximo post

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.