Parada Gay leva 2 milhões para as ruas de São Paulo

A 20ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, realizada neste domingo (29) na região central de São Paulo durou 8 horas e levou 2 milhões de pessoas para as ruas. A concentração, que começou às 10h, celebrou o orgulho gay e trouxe para a pauta muita política e manifestações.

Os 17 trios elétricos da Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) em São Paulo só pararam às 20h, após encerramento oficial dos organizadores do evento.

O tema deste ano foi “Lei de identidade de gênero, já! – Todas as pessoas juntas contra a Transfobia!”, hasteando a bandeira das mulheres transexuais, homens trans e travestis. De acordo com a organização do evento, o objetivo foi fazer uma grande mobilização para que a “Lei de Identidade de Gênero”, seja aprovada.

Embora as milhares de pessoas nas ruas e ânimos realmente exaltados (em todos os sentidos), os problemas foram mínimos. A Polícia Militar prendeu três suspeitos, por furto e violência contra policial militar. “Estamos aqui fazendo nosso trabalho, respeitamos a passeata e também buscamos igualdade, até mesmo em nossa profissão”, afirma um dos militares entrevistados durante a autuação.

Beleza e opinião sobre o trio
Linda e polêmica, Viviany Beleboni não se deixou abater pelas ameaças e críticas. Após sua aparição, no ano passado, ficar mundialmente famosa por interpretar “Cristo na cruz”, a atriz de 27 anos protestou novamente, dessa vez com referências à Bíblia e a bancada evangélica.

Política e religião fizeram parte do domingo de Parada (Foto: Caio Kenji)

Política e religião fizeram parte do domingo de Parada (Foto: Caio Kenji)

A Parada do Orgulho LGBT também foi palco de diferentes protestos. Enquanto alguns participantes carregavam faixas e cartazes contra o presidente da República em exercício, Michel Temer (PMDB), pedindo a saída do vice de Dilma do cargo, outros faziam discursos no carro de som protesto parada gay estuprocontra o machismo e intolerância dos últimos dias.

Muitas citações sobre o estupro da adolescente de 16 anos ocorrido no Rio de Janeiro, manifestações artísticas e até mesmo críticas um tanto quanto, radicais, como cartazes dizendo “homens mortos não estupram”.

Ainda pelo caminho da Avenida Paulista intervenções como a da atriz Danieli ganhavam holofotes da imprensa internacional. “Se você acha que a culpa é da vítima, o 34º estuprador é você”, afirma.

Teve Sense8, sim!
Tínhamos adiantado aqui no Três a gravação do Netflix para a aclamada série Sense8, e assim se fez!

A equipe da produção passou pela capital paulista para rodar cenas da segunda temporada. Além da Parada, as filmagens também aconteceram em outros lugares na região central da cidade.

sense8 na parada gay brasil

Jamie Clayton (Nomi), Alfonso Herrera (Hernando), Freema Agyeman (Amanita), Miguél Angel Silvestre (Lito), Tina Desai (Kala), Brian Smith (Will), Max Riemelt (Wolfgang) e as criadoras Lilly e Lana Wachowski estão em território brasileiro.

Além de muitos beijos sobre o trio elétrico da Parada Gay, deixando a galera doida, outras cenas foram gravadas no Aeroporto de Congonhas e sets de filmagens. “Estamos emocionados em participar desse importante momento do país de vocês. Viva a liberdade e uma sociedade mais justa”, concluiu o ator Alfonso Herrera para a imprensa.

E para finalizar, muito mais carinho para todos nós… o elenco de Sense8 grava vídeo agradecendo todos nós! Já estou com saudades aqui também!

banner novo tres de paus

Post anterior Próximo post

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.