Cidade holandesa instala semáforos do mesmo sexo

A cidade holandesa de Utrecht, acompanhando a tendência de algumas cidades europeias, espalhou semáforos do mesmo sexo na região central da cidade.

Dentre os semáforos “diferentões”, há luzes com duas mulheres e dois homens de mãos dadas, e um terceiro, com um homem e uma mulher de mãos dadas. O objetivo, além de incentivar o turismo e atividades gay friendly na cidade, é “combater alguns casos de discriminação que o país está passando nos últimos tempos”, afirma o vereador de Utrecht, Kees Geldof.

“Utrecht é uma cidade multifacetada. Os semáforos são, além de tudo, motivo de reflexão sobre , enquanto você está esperando as luzes para mudar”, conclui.

A primeira cidade a apostar nos semáforos do mesmo sexo foi a cidade austríaca de Linz, quando Viena acolheu o Festival Eurovision em 2015. Em seguida a população pediu que fossem retiradas e após uma breve disputa judicial (com participação da ganhadora Conchita Wurst, voltaram para as ruas.

Sinal amarelo para os direitos LGBTS na Áustria

Os sinais de trânsito eram tão populares em Viena que se espalharam para as vizinhas Salzburgo e Linz. Enquanto isso, Viena, mantinha suas luzes “ainda mais coloridas”, aumentando de 50 semáforos para mais de 120. Assustados com tamanha repercussão na mídia (parte disso resultado do Eurovision) e a força partidária sobre discurso, o Partido da Liberdade (pois é, esse é o nome) levou para a justiça a questão sob a alegação de que “os semáforos são para o tráfego e não devem ser utilizadas para transmitir conselhos sobre como viver a sua vida”. Um de seus principais membros e conselheiro do partido de direita, Markus Hein, argumentou que “casais do mesmo sexo já tem direitos na Áustria”, o que significa as luzes são “completamente desnecessárias”.

Severin Mayr e outros ativistas nas ruas da Áustria: liberdade e coexistência

Severin Mayr e outros ativistas nas ruas da Áustria: liberdade e coexistência

Severin Mayr, do Partido Verde, foi um dos principais apoiadores da ação proposta pela esquerda. Em entrevista à BBC afirmou que a atitude de se remover judicialmente os símbolos era “vergonhosa”. “Enquanto os semáforos de toda Europa ganham a liberdade, o respeito e a coexistência pacífica, Linz deu um passo para trás”, declarou.

Fofo né? Será que é muita evolução pedirmos três bonequinhos aí!?

Post anterior Próximo post

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.